Publicações e eventos

Eventos

Palestra de sócio da Covac no CNE abordará o futuro do ensino superior

03 Dec 2018

O Dr. José Roberto Covac, sócio da Covac Sociedade de Advogados, fará uma palestra sobre o “Futuro da Educação Brasileira”, na próxima quarta-feira (dia 5), às 9 horas, no Plenário do Conselho Nacional de Educação (CNE), em Brasília, seguido de um debate com os conselheiros. 

O evento será aberto ao público e entre os temas que serão abordados estão o posicionamento do órgão sobre a escola sem partido. Para acompanhar o evento on-line basta acessar a página da Covac no Facebook, no horário da palestra: https://www.facebook.com/covacadvogados/.

O advogado especializado em Direito Educacional foi convidado pelo presidente da Câmara de Educação Superior do CNE, Antônio de Araújo Freitas Júnior, para abordar as questões que projetam a educação superior para o século 21, dominado pela inovação e pela tecnologia em todos os setores da sociedade humana e, por consequência, também no âmbito educacional.

“O enfoque principal da palestra será o importante papel do CNE, como órgão de Estado, no acompanhamento das metas do Plano Nacional de Educação,  num momento em que a educação passa por necessárias mudanças nas  metodologias de ensino, por influência da tecnologia e da educação digital,  das novas profissões que estão surgindo, bem como da necessidade de inclusão social, universalização do ensino e erradicação do analfabetismo”, adianta o Dr. Covac. “Mas será inevitável a abordagem dos temas que refletem o momento atual e que estão sendo debatidos na sociedade.” 

Segundo o advogado, “o futuro projeta um modelo de regulação não burocrático e centralizador, que tenha como referencial a autoavaliação e a avaliação externa, contemplando um papel mais ativo e inovador da comunidade acadêmica, com autorregulação institucional e menor dependência governamental”.

Da mesma forma em relação aos processos avaliativos, que para o sócio da Covac “devem contemplar o avanço dos sistemas educacionais no mundo, atualmente mais complexos e amplos, exigindo respeito à diversidade regional e à identidade institucional, o que é preconizado pelo SINAES”, afirma.